Loading

logo


7. Conservação, uso e manejo de fauna por comunidade

Paulo Cesar Machado Andrade, Paulo Henrique Guimarães Oliveira, Anndson Brelaz de Oliveira, Carlos Dias Almeida Júnior, Wander da Silva Rodrigues

LEVANTAMENTO DA FAUNA COM POTENCIAL CINEGÉTICO DA RESEX BAIXO JURUÁ, ANÁLISE DE SUSTENTABILIDADE E PROPOSTAS DE MANEJO COMUNITÁRIO

Resumo:
A utilização de recursos faunísticos em reservas extrativistas possibilita geração de renda às populações tradicionais. De 2005 a 2006, realizou-se os levantamentos de mamíferos com potencial cinegético da Resex do Baixo Juruá. As atividades de campo foram realizadas na seca de 2005 e cheia de 2006, o inventário foi realizado através da aplicação de questionários (52) em 11 localidades da reserva e com as metodologias de transectos lineares, contagem de pegadas e estações atrativas. Os transectos foram monitorados durante 8 dias na seca e 15 dias na cheia, em vegetação de igapó, baixio, várzea, e floresta de terra firme. Foram registradas nas trilhas de caça 55 espécies com potencial cinegético. O preço médio da carne de animais silvestres é R$2,50/kg. 34,61% dos moradores comercializam, principalmente, quelônios (Podocnemis spp.), anta (Tapirus terrestris), queixada (Tayassu pecari) e veado (Mazama spp.). A preferência para consumo são porcos do mato (77,78%), pacas (74,07%), tracajás (70,37%), veados (66,67%), tatus (66,67%), cutias (62,96%) e macacos (59,26%). Os animais com maior frequência de caça anual são os porcos do mato (17,65 ± 15,39 animais/ano), nambu (15,00±0,1 animais/ano), macacos (13,06 ± 9,33 animais/ano), pacas (44,05± 29,77 animais/ano), queixadas (57,22± 54,37 animais/ano) e mutuns (76,54 ± 60,32 animais/ano). As espécies com maior densidade encontradas na Resex foram queixada = 214,68 ± 152,26 animais/ km2, paca= 31,84 ± 3,33 animais/ km2, macaco barrigudo= 31,83 ± 0,2 animais/ km2, jacamim= 25,23 ± 24,02 animais/ km2, macaco de cheiro=17,48±12,15 animais/ km2, caitetu = 17,41± 15,16 animais/ km2. Na Resex os porcos do mato, são preferidos para consumo, e causam danos aos roçados de mandioca (Manihot esculenta), com prejuízo de cerca de R$3.750,00/ha de roça/ano. Existe interesse das comunidades em manejar porcos do mato, existe um mercado local consumidor, que absorve o excedente dos porcos do mato abatidos (10,81 caitetus/ano; 57,22 ± 54,37 queixadas/ano), sendo vendidos 8,07% do que é abatido a R$2,83 ± 0,41/kg. Foi analisada a sustentabilidade da caça de T. tajacu e T. pecarie, sendo encontrado os seguintes índices: densidade média= 17,41animal/km2); Biomassa=329,05 kg/ km2; Número estimado de animais na Resex=32.731; r máx=1,25; Produção=10,12 animal/km2; HR Taxa de Desfrute anual=0,14; Sustentabilidade= 6,93% de produção abatido pelos caçadores. Para a área total da Resex (1880 km2), a cota anual de abate sustentável de caititus foi estimada entre 2.064 a 3.531 animais, e de queixadas de 7.360 a 9.556 animais. Estes valores correspondem a cerca de 2 a 3 caititus/morador, e 26 a 37 queixadas/morador.

<< volver